Infertilidade

O diagnóstico de infertilidade pode ser realizado após 12 meses de tentativa, sem uso de método anticoncepcional, ou 6 meses para mulher com mais de 35 anos. A infertilidade deve ser tratada de maneira conjunta com o casal, pois a causa de infertilidade pode ser masculina, feminina ou de ambos.

Infertilidade

Existem algumas mudanças de estilo de vida que podem ajudar na manutenção e melhora da fertilidade de uma maneira natural!

Dieta: manter uma dieta equilibrada, evitando excesso de gordura e açúcares e uma recomendação saudável em qualquer momento da vida, e ajuda a manter ciclos ovulatórios regulares. A fertilidade está diminuída em mulheres muito magras ou obesas, ou naquelas que apresentam uma variação muito brusca no peso. A suplementação de algumas vitaminas como a vitamina D e o acido fólico pode ser indicado por seu medico.

Cafeína: altas doses de cafeína podem diminuir a fertilidade e aumentar taxas de abortamento. Um consumo moderado, 1-2 xícaras de café ao dia, geralmente pode ser liberado pelo seu medico.

Veja também:
Exercícios para facilitar o parto normal
Mitos e verdades
Coletor Menstrual

Cigarro: Os malefícios do cigarro devem ser conhecidos por todos, não só pelo seu potencial cancerígeno como também pelos efeitos deletérios no sistema reprodutivo. Em mulheres o tabagismo pode diminuir em ate 2 vezes a chance de engravidar, prejudica o resultado de tratamentos de fertilização assistida e aumenta o risco de abortamento. O cigarro diminui a reserva de óvulos das mulheres e pode levar ao adiantamento da menopausa. Nos homens o cigarro aumenta as chances de produção de espermatozoides com formas e motilidades anormais, além de diminuir a quantidade de espermatozoide, dificultando assim a fecundação.

Álcool: o consumo de álcool em doses baixas a moderadas não apresentam evidencias científicas que comprovem redução da fertilidade. No entanto, eh prudente evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas devido a possíveis alterações no ciclo menstrual e pelos efeitos nocivos ao feto durante a gestação.

Atividade física: a atividade física ajuda a manter peso adequado e níveis saudáveis de glicemia e colesterol A atividade física moderada pode ajudar mulheres com peso normal a engravidar mais rapidamente. No entanto, atividade física vigorosa pode levar a ciclos anovulatórios e assim dificultar a concepção.

Exercícios para facilitar o parto normal

Durante a gestação é importante o fortalecimento da musculatura do assoalho pélvico por diversos motivos. Primeiramente, ocorre uma melhora do apoio e sustentação do aumento do peso e alterações ortopédicas decorrentes da gestação.

Este fortalecimento também ajuda durante o trabalho de parto, diminuído as chances de rotura perineal, prolapso de órgãos pélvicos e incontinência urinária. Exercícios de alongamento também deve compor a rotina de atividades da gestante. Os exercícios sempre devem ser feitos após avaliação e orientação de um profissional capacitado, e sempre consultando o seu médico.

  • Exercícios de Kiegel

Pode ser praticado de pé, sentada ou deitada.

Contraia os músculos do ânus e da vagina como se estivesse tentando não ir ao banheiro, relaxando em seguida. Faça os mesmos movimentos, aumentando o tempo de contração da musculatura. Ao voltar à posição normal, empurre os músculos para fora (este último movimento poderá ajudá-la a fazer a força necessária na hora do parto e evitar lacerações), relaxando totalmente. Repita os movimentos diversas vezes durante o dia.

  • Ponte

O exercício de ponto ajuda a fortalecer a musculatura glútea e lombar, diminuindo riscos de dores nas costas durante a gestação.

  • Sapo ou Borboleta

Ajuda fortalecer musculatura abdominal e pélvica, ajudando durante o período expulsivo do parto.

  • Contração da pelve

Fortalece a musculatura pélvica e abdominal, ajuda o posicionamento adequado do feto para o parto normal.

  • Posição de cócoras

Relaxamento, alongamento da musculatura perineal e também ajuda o posicionamento adequado do feto para o parto normal.

Mitos e verdades

  1. Calças apertadas, como calças jeans, podem causar corrimento?

VERDADE – O uso de calças justas e de materiais sintéticos que impedem a ventilação adequada da região íntima pode levar a um desequilíbrio do pH e da flora vaginal, levando ao aparecimento de alguns tipos de corrimentos.

  1. Usar anticoncepcional por muito tempo diminui as chances de engravidar no futuro?

MITO – Uso de anticoncepcional, desde a adolescência até a fase reprodutiva não interfere na fertilidade longo prazo. No entanto toda mulher deve ser avaliada por seu ginecologista para indicação do melhor método anticoncepcional.

  1. Usar protetor diário de calcinha faz mal?

VERDADE – O uso de protetor íntimo pode causar alergias e coceira pelo contato e atrito com a região íntima. Por se tratar de um material sintético, também diminui a transpiração de região vaginal aumentando o risco de corrimento.

  1. Absorvente interno pode ser perigoso para saúde?

VERDADE – Apesar de muito raro, o uso do absorvente interno por períodos prolongados, pode levar ao aparecimento da síndrome do choque tóxico. Isto ocorre devido a produção de toxinas por bactérias, causando um quadro potencialmente fatal. Para evitar este problema, e de extrema importância a troca do absorvente interno com frequência, pelo menos a cada 4 horas.

  1. Pode aparecer acne no período da menstruação?

VERDADE – Durante o período menstrual, ocorre uma variação hormonal que em algumas mulheres, pode deixar a pele oleosa, facilitando o aparecimento de cravos e espinhas.

  1. A cesárea é sempre indicada quando existe a suspeita de que o cordão umbilical do bebê esteja enrolado no pescoço?

MITO – Dentro do útero o cordão umbilical, por onde o bebê recebe seus nutrientes, está em constante movimento, podendo enrolar-se a todo momento no corpo do bebê. Se houver bem-estar fetal e condições adequadas para parto normal, não é obrigatório a realização da cesárea pelo fato do cordão estar enrolado no pescoço do bebê.

  1. Ter uma cesárea impede de ter um parto normal depois?

MITO – Na maioria dos casos, ter tido um parto cesárea anterior não impede que ocorra um parto normal espontâneo. No entanto, é importante a avaliação e seguimento adequado do obstetra para cada caso.

  1. Se eu tiver parto cesárea, não vou conseguir amamentar?

MITO – Diversos fatores contribuem para a produção do leite. Sabemos que pode ocorrer uma demora maior para “descer” o leite no parto cesárea, no entanto, o volume de leite e a capacidade de amamentação da mulher não é menor após um parto cesárea.

Coletor Menstrual

Atualmente, o uso de coletores menstruais tem se tornado mais popular entre as brasileiras. A preocupação com a sustentabilidade e diminuição do uso de absorventes tradicionais são algumas das principais razões para esta tendência coletor menstrual é um copinho de silicone hipoalergênico e antibacteriano, que ao ser introduzido na vagina, se ajusta ao corpo e coleta o sangue da menstruação. Estão disponíveis em vários tamanhos, e seu manejo é orientado em consulta com seu ginecologista.

Se usado de maneira adequada, esvaziando a cada 6-8 horas, não corre risco de vazar. Durante os primeiros usos, a mulher pode sentir um leve incomodo, mas após a adaptação a maioria refere ser mais confortável que o uso de absorventes comuns.

Uma das poucas contraindicações é o uso em mulheres que nunca tiveram relação sexual.

A higienização é feita com água e sabão neutro, e fervido a cada ciclo menstrual. Existem também esterilizadores para uso em micro-ondas que facilitam muito o cuidado com o coletor.